Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 15 de junho de 2012

POEMA METAFÍSICO DE MANUEL SOARES BULCÃO NETO

O pensador

_________________________________________________

POR QUÊ?
— POEMA METAFÍSICO —

Manuel Soares Bulcão Neto


Penso, por que existo?
Gratuito não é viver?
Se o fim é sumir no infinito,
Então para que nascer?

Sendo o ponto de partida
O mesmo de chegada,
Digam-me pra que é isso:
Uma circular estrada?

Toda esta cacofonia,
Tanto ruído sem sentido…
Não seria o cabal silêncio
Algo mais significativo?

No céu, eões de estrelas
Brilham por que razão
Se tudo será, um dia,
Radiação tênue e fria
Num jazigo de escuridão?

E se a natureza inteira
Descamba para o nadir
Por que ela então se deu
Ao trabalho de existir?

Por que assim é o mundo,
Redundante e complicado?
Em vez de zero rotundo,
Xis menos xis ao quadrado?

A vida é sem Destino.
Mas para que razão de ser
Se beleza, amor e vinho
São motivos pra não morrer?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...